23 de março de 2012

3:21:00 da tarde

Meu Deus, quando vou parar de ter esse medo de chuva? Uma noite super mal dormida, um calor mesmo com a janela aberta e um ventinho frio lá fora, uma sensação estranha nos lençóis da cama e um nó do tamanho da âncora do Titanic na minha garganta e por trás dos meus olhos.
Eu sempre junto as mãos e faço uma ligação direta com o único que sabe de todos meus problemas, meus sentimentos, medos, erros e acertos. Se você é cético pode não acreditar, mas só quem tem fé Nele sabe o quanto é reconfortante fechar os olhos e sentir que alguém está olhando por você, mesmo que de um jeito inexplicável.
Sim, não sou muito de reclamar, mas ando o fazendo muito ultimamente. Tenho meus motivos, é fato. Afinal, como se não bastasse mais esse período negro da minha vida o outono ainda não voltou das férias e esse prolongamento do verão tem efeito direto no meu organismo. Mesmo assim eu levantei a cabeça, tomei uma ducha molhada e tentei encarar mais um trauma. O resultado? Acabei quase chorando enquanto voltava pra casa. Não por ter abusado um pouco nas compras, mas por ainda me sentir tão frágil, por não conseguir sorrir internamente para a garota de rabo-de-cavalo que aparece docemente com um lacinho florido no cabelo, no reflexo de alguma vidraça escura ou empoeirada.
A verdade é que o único lugar em que me sinto segura e feliz é na minha cama enquanto estou dormindo. E vamos combinar que nem isso eu tenho conseguido fazer direito.

You Might Also Like

0 pitacos