Uma coisa realmente boa sobre a série Fifty Shades: Cinquenta Vergonhas de Cinza

4:29:00 da tarde


E L James conseguiu o que queria! Enriqueceu com as milhões de cópias vendidas da série "50 Tons" e, como se não bastasse, embolsou 5 milhões de dólares com a venda dos direitos para a adaptação de "50 Tons de Cinza" para o cinema. Mas além de toda essa grana, a série também rendeu paródias. MUITAS paródias! Desde vídeos no Youtube até publicações literárias que satirizam ou que explicam o mundo BDSM para leigos (vide "50 Tons na Prática).
Dessa loucura toda, a única publicação que me chamou atenção desde o anúncio de seu lançamento foi "Cinquenta Vergonhas de Cinza" que me arrancou gargalhadas já com a sua contra-capa!
Empurro a porta aberta e tropeço na barra das minhas calças de ginástica largas num movimento rápido e desajeitado. Enquanto tombo na direção do chão, meu corpo, por reflexo, aciona o modo ginasta. Largo a mochila e o notebook, estendo meus braços e viro uma estrela. Com o impulso conseguido com o tropeção, completo três estrelas antes de aterrissar em pé... em cima da mesa do Sr. Grey! Fico tão envergonhada com minha falta de jeito que fecho os olhos. Espera aí. Alguém está... aplaudindo? Abro meus olhos e encaro o Sr. Grey e MINHA NOSSASSINHORA DOS VAMPIROS BRILHANTES, COMO ELE É GOSTOSO!
Como resistir à isso quando você acha a série um fracasso literário? Impossível!

A paródia de Fanny Merkin é uma das mais elogiadas até agora. É um livro rápido que em pouco mais de 200 páginas satiriza os 3 volumes de E L James. Sempre fazendo ligações diretas com fanfics e Twilight (Crepúsculo), o livro mostra a protagonista descobrindo as 50 vergonhas de Earl Grey, no qual a maior delas é o BDSM: um jogo de rpg chamado Bardos, Dragões, Sortilégios e Magia, com o qual Earl sacia suas fantasias sexuais. Acontecimentos como o acidente de helicóptero, a gravidez de Anna, o tempo que ela passa no hospital e o jantar de caridade de Christian estão nesse livro. Mas sem dúvida os pontos altos ficam por conta da escancarada crítica ao controle absurdo do Sr. Grey e a falta de coerência de Anastasia Steele, que em Cinquenta Vergonhas de Cinza fica ainda mais parecida com a Bella, principalmente por não conseguir dar dois passos sem cair.
A única coisa negativa sobre a paródia é que alguns momentos são tipicamente sem graça, seguindo o exemplo daqueles filmes americanos que satirizam os outros. Mas de forma geral é um bom livro para rir e refletir - ainda mais - sobre os graves defeitos de desenvolvimento e coerência da série "Fifty Shades".


Partes que farão você querer ler o livro:

"Sra. Kraven. Sou Edward Cullen, quero dizer, "Earl Grey". Sente-se por favor."

"Com seu cabelo castanho desgrenhado e olhos cinzas, é o tipo de cara sobre o qual você quer escrever uma fanfic."

"Não espero que entenda. Sou um homem complicado, Anna. Tenho cinquenta vergonhas. Algumas delas você já conhece, como eu ser maluco pelo Tom Cruise ou o fato de que faço compras no Wal-Mart. Mas tenho outros desejos bizarros secretos que são de natureza mais...sexual."


Algumas das Cinquenta Vergonhas de Earl Grey:

- Colar um adesivo da Apple para cobrir o logotipo num laptop da Dell.
- Roubar Wi-Fi dos vizinhos
- Assistir Titanic ao menos uma vez ao ano, e rir toda vez que o cara bate na hélice propulsora.
- Pensar que Tim Burton é supervalorizado
- Desejar que todos parem de encher o saco de Kristen Stewart
- Pensar que George W. Bush foi um chefe de Estado satisfatório
- Grávida aos 16 (programa exibido pela Mtv)
- Ler romances eróticos.

E pra encerrar, o que eu considero ser o melhor vídeo satirizando "Cinquenta Tons de Cinza":

Um beijo,
Tuane C.

You Might Also Like

0 pitacos