Cinquenta Tons de Cinza bem escrito?

3:17:00 da tarde


Nunca tive problema algum em ler qualquer tipo de livro e, quando digo qualquer tipo de livro, quero dizer que livros eróticos não começaram a ser publicados após E L James fazer sua fanfic quase sadomasoquista. Porém, é inegável o fato de que esse tipo de literatura ganhou um destaque maior depois que Christian Grey resolveu colocar seu corpinho à mostra e tornar público o que é capaz de fazer com uma virgem babaca. Expressões de revolta à parte (entenda porque clicando aqui e aqui), a onda dos considerados livros de "conteúdo adulto" está longe de acabar e um dos mais falados desse mar de erotismo é a série "Crossfire", escrito por Sylvia Day.
Pra começar, comprei os quatro livros da dita cuja porque sou gulosa e não resisto à uma promoção (Submarino ainda me leva à falência) e porque, assim como com "Cinquenta Tons", eu estava morrendo de curiosidade de ler o livro que tem como atrativo principal de divulgação a frase: "Mais bem escrito que Cinquenta tons de cinza." 

Juro por Santa J.K Rowling que eu tentei ao máximo começar a ler o primeiro volume da trilogia ("Toda Sua") sem estereótipos, sem preconceitos e sem julgamentos, mas não deu! As primeiras páginas do livro já remetem ao universo dos negócios e a descrição de Gideon Cross feita por Eva Tramell em seu primeiro e catastrófico encontro não são tão diferentes de Anastacia ao encontrar Christian Grey. As poucas - boas - divergências é que Eva não é uma retardada sem noção que mal sabe andar sobre os próprios pés, e sim uma mulher bem resolvida profissionalmente e sexualmente que solta meia dúzia de palavrões ao expressar todo o desejo que sente pelo "Moreno Perigoso"
As primeiras investidas de Gideon são BEM diretas, ou seja, se você está esperando um carinha cheio de medo de dizer pra mocinha que está afim de bancar o reprodutor e que vai envolvê-la romanticamente antes de bancar o selvagem... nem abra o livro! Porque tudo que falta no início dessa história é sutileza. Na real, boa parte de todo blablabla que fazem "Cinquenta Tons de Cinza" ser um livro terrivelmente grande foi dispensada por Sylvia Day, o que faz a história ser mais direta e menos melodramática também. Ou não...
Cross possui os mesmo problemas de Grey: possessivo, selvagem, ciumento, manipulador, etc... Felizmente, ele não tem gosto pelo BDSM, tem a pele mais bronzeada e o físico mais rústico também. Mas além de todos os defeitos, ele guarda um super segredo em seu passado que, somado ao segredo do passado de Eva, faz com que a relação dos dois seja cheia de altos e baixos. Até demais pro meu gosto. Porém é mais interessante porque ambos têm uma personalidade forte e são crescidinhos o suficiente pra não agirem feito dois adolescentes que nunca namoraram ninguém na vida. Eles até agem dessa forma, mas não fica tão infantil e imaturo. Sem contar que não há nenhuma "deusa interior" e as mudanças de humor do gostosão da história são mais dignas de um homem bem sucedido.

Enfim, a obra em si é realmente melhor escrita do que "Cinquenta Tons de Cinza". O vocabulário é inteligente, os diálogos são bem elaborados e mesmo as palavras de "baixo nível" são bem colocadas. Mesmo mantendo os dois personagens em pé de igualdade e com uma boa problemática, eu não gostei muito do desenvolvimento do livro e confesso que fiquei profundamente irritada com a quantidade de brigas que surgem e que acabam de maneira meio fútil e desconectada da razão pela qual começaram. O enredo não é tão criativo, apesar de ser diferente. Considero que foi pouco explorado, mas talvez isso seja apenas por se tratar do primeiro livro de uma trilogia. 

Gostaria muito de ter lido "Toda Sua" antes de me arriscar com "Cinquenta Tons de Cinza". Com certeza teria me interessado muito mais e eu conseguiria dar 4 estrelas ao invés de 3, na minha avaliação no Skoob.

Um beijo de uma leitora à procura de uma história interessante e diferente,
Tuane C.

You Might Also Like

4 pitacos

  1. Esse livros eróticos me dão a impressão de que uma boa ideia foi cagada num momento de loucura pela autora

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HAHAHA Pois é. Ando com a mesma impressão!

      Eliminar
  2. Esses tipos de livros não me chamam nada a atenção,
    romance de banca deve ser melhor que esses livros hehe.


    abs,
    muchachoonline.blogspot.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, Zayron!
      Eu não vejo muita diferença. Acho que os romances de banca normalmente trazem problemas mais cotidianos e a escrita da maioria deles não me agrada muito. De qualquer forma, há livros eróticos muito bons no mercado, é só dar uma procurada.

      Beijos!

      Eliminar